Governança corporativa: a metodologia dos “8Ps”

A criação de um ambiente de governança corporativa passa geralmente pelas 8 dimensões dos “Ps” que são: propriedade, princípios, propósitos, poder, processos, práticas, perenidade e pessoas. Neste post, abordaremos de maneira sintetizada essas 8 diretrizes da governança corporativa. Confira!

esquema gráfico da metodologia 8Ps da governança corporativa

Clique nos títulos abaixo para acessar os detalhes de cada P

Propriedade

Atributo fundamental, diferenciador das companhias. Tipologias:

  1. Familiar, consorciada, estatal, anônima.
  2. Fechada, aberta.
  3. Concentrada, pulverizada.

Estreitas relações com as razões de ser e com as diretrizes da governança.

Princípios da governança

Fundamentos éticos dos negócios e da gestão:

  1. Fairness. Senso de justiça e equidade de direitos.
  2. Disclosure. Transparência quanto aos resultados, oportunidades e riscos.
  3. Accountability. Prestação responsável de contas.
  4. Compliance. Conformidade com instituições legais e com marcos regulatórios.

Princípios da companhia

  1. Credos e valores internamente compartilhados.
  2. Externamente sancionáveis.

Propósitos

  1. Direcionamento de médio-longo prazo consensado.
  2. Alinhamento entre propósitos e expectativas dos proprietários.
  3. Clareza na definição de diretrizes de grande alcance:
    • Propósito orientador (missão);
    • Propósito empresarial (visão).
  4. Estratégia, consistente, motivadora, realizável.
  5. Foco em retornos:
    • Maximização do retorno total dos investimentos dos shareholders (RTS);
    • Harmonização do RTS com os interesses de outros stakeholders.

Papéis

  1. Clareza na separação de papéis:
    • Família, Sociedade, Empresa;
    • Acionistas, Conselheiros, Gestores;
    • Conselho de Administração e Diretoria Executiva;
    • Chairman e CEO.

Poder

  1. Constituição da estrutura de poder: prerrogativa dos shareholders.
  2. Definição e separação de funções e responsabilidades:
    • Conselhos corporativos;
    • Direção executiva;
  3. Definição compartilhada de decisões de alto impacto;
  4. Planejamento das sucessões nos órgãos de governança.

Práticas

  1. Sistematização: do direcionamento da estratégia ao monitoramento de resultados.
  2. Práticas atribuíveis ao Conselho de Administração (Estratégias de negócios e de gestão):
    • Direcionamento;
    • Homologação;
    • Monitoramento.
  3. Empowerment dos órgãos de governança.
  4. Gestão de conflitos e de custos de agência.
  5. Construção de canais de comunicação, internos e externos.
  6. Práticas atribuíveis à Diretoria Executiva:
    • Alinhamento aos valores corporativos;
    • Operações alinhadas às estratégias;
    • Foco em geração de resultados;
    • Cumprimento do plano orçamentário.

Perenidade

  1. Salvo em casos excepcionais, objetivo último das organizações.
  2. Presente em todas as estruturas societárias, com maior visibilidade nas familiares.
  3. Fortemente associável a:
    • Harmonia de propósitos;
    • Criação de valor para os shareholders;
    • Conciliação dos interesses dos shareholders com os de outros stakeholders;
    • Desenvolvimento de lideranças, em todos os níveis;
    • Estratégia focada em fatores-chave de sucesso;
    • Tratamento de questões-chave;
    • Gestão eficaz de riscos.

Pessoas

  1. Fator-chave da boa governança: presente em todos os “Ps”.
  2. Postura ética, requisito fundamental na condução de:
    • Questões societárias;
    • Negócios;
    • Operações internas, gestão.
  3. Harmonização de interesses:
    • Coesão;
    • Convergências, alinhamentos.
  4. Base dos legados, das condutas e das competências que conduzem à perenidade.
Confira também a síntese conceitual sobre cada P da Governança Corporativa!

Clique aqui, entre em nosso fórum, deixe suas dúvidas e participe das discussões!